Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

23 agosto, 2013

"Sugar, oh honey honey..."

O mês está quase acabando, mas ainda dá tempo...

A revista National Geographic de agosto tem como principal assunto o AÇÚCAR.

Já pela capa, seja na edição original ou na edição nacional, dá para ver o forte apelo desse 'tal':
Mas o fato é que em quase 20 páginas, numa matéria que começa dizendo que se trata de "uma história que não é doce" são mostrados sem nenhuma censura os grandes malefícios que ele faz.

Desde os lanches servidos nas escolas com refrigerantes e refeições rápidas que eventualmente são mais gordurosas e menos saudáveis, até a justificativa de uma vida de adulto sempre sem tempo, o fato é que esse hábito vem acompanhado de grandes consequências: obesidade, pressão alta, coração em risco, diabetes!

Segundo a NG, recentemente a Associação Americana do Coração se juntou à briga contra o açúcar; mais especificamente sobre o fato de se adicionar tanto açúcar na dieta.
São diretos no ponto: "o açúcar produz calorias sem qualquer benefício nutricional".

E o endocrinologista Robert Lusting, da Universidade da Califórnia, complementa: "Não se trata das calorias. O açúcar é um veneno por si só quando consumido em altas doses".

Outro ponto levantado e que deve ser destacado é a constatação de que "a criança come o que é oferecido a ela".

Na revista Diabetes de junho deste ano, A Professora Deise Regina Baptista, que é Coordenadora do Departamento de Nutrição da Sociedade Brasileira de Diabetes, levanta um ponto que vem de encontro a isso...

Apesar de reconhecer que as tradições alimentares devem ser preservadas, a Professora Deise afirma que "o paladar das crianças pode ser condicionado" desde bebê.

Por fim, deixa um recado:
"O comportamento alimentar de cada pessoa é condicionado por vários fatores, mas há espaço para as decisões individuais".
(grifo meu) 

Nunca é tarde para a decisão certa!! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário