Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

27 março, 2013

1 ovo, 2 ovos, 3 ovos assim...

Lá vem o Coelhinho! 

E com tudo! 

Apesar de não ligar para ovos de páscoa há alguns anos, antes mesmo da DM, fico satisfeita em perceber que a cada ano temos mais opções de Ovos diet. Acho justo!

As grande novidades são o Ovo trufado da Cacau Show, o Ovo de Colher da Katz (AMO o chocolate diet deles), e o Ovo da Linea.

  

Os preços, a não ser pelo da Linea, não são muito atrativos: respectivamente R$42,90, R$ 75,60 e R$ 25,00 (em média).


Só lembrando: chocolate diet, apesar de não ter açúcar, contém mais gordura. 
Então moderação é fundamental!
Pode até maneirar no almoço (capricha nas fibras - saladas, castanhas, verduras, legumes...) para degustar o Ovo sem culpa. 

Pra quem não curte Ovo - curto o chocolate, mas o exagero dos ovos acabava sempre virando uma boa calda de chocolate - vale a criatividade: chocolate em barras, bombons e o bom e velho brigadeiro no prato

Divirta-se!
(Controle-se...)

E bom feriado!

26 março, 2013

Macarrão politicamente correto...


Não sou um ás na cozinha... brigadeiro eu faço bem! Me viro com um arroz, mas não fujo muito do fácil.

Agora que me mudei e chego mais cedo em casa, tenho dedicado um tempinho maior pra esta arte.
E estou gostando!

No domingo passado o almoço arriscado valeu a pena!!

Arrumando o armário que tinha sido montado no sábado, tempo meio esquisito... a fome bateu e fui ver o que podia sair da minha cozinha. 

Um fusili integral, um filé (claro que na minha bandeira pela praticidade, já compro cortadinho em bife!), um espinafre congelado (já explico...) e uma garrafa de vinho que já estava aberta - resquícios de sábado a noite.

Pronto: juntei tudo e saiu uma massa delicinha!


Passo a passo:

Enquanto o fusili cozinhava, coloquei o filé cortado em cubos para selar no azeite com cebola (já douradinha). Em seguida acrescentei o vinho tinto (não sei a medida certa, acredito que algo em torno de uma taça e meia) e deixei a carne 'curtindo'.

Na mesma panela em que cozinhei o macarrão coloquei um fio de azeite com o espinafre - para garantir o balanceamento da refeição - (compro o da marca Qualitá... a verdade é que se eu comprar o espinafre fresco, acaba estragando, porque não vende em porções pequenas) e depois jogo o fusili de volta.


Nesse ponto, o filé já está pronto. Uma colher de sobremesa de creme de leite light (se quiser), mistura um pouco e junta ao macarrão.

Só!

A carne fica com um sabor ótimo e dá um toque de charme ao macarrão do final de semana!


22 março, 2013

"Bota uma cerva bem gelada aqui na mesa!"



Não é 'papo de bêbado' e quiçá estou advogando em causa própria...

Ao que tudo indica, a cerveja, assim como o vinho, quando consumida com moderação pode ter efeitos positivos:
"Um novo estudo espanhol comprovou que tomar uma caneca da bebida por dia combate diabetes, evita ganho de peso e previne contra hipertensão. Além de ter graduação alcoólica baixa, a cerveja contém ainda ácido fólico, vitaminas, ferro e cálcio - nutrientes que protegem o sistema cardiovascular."

O trabalho, que foi feito em parceria pela Universidade de Barcelona, Hospital Clínico de Barcelona e Instituto Carlos III de Madrid, recomenda 2 copos por dia para as mulheres e 3 para os homens.

Mas com uma condição: "o hábito deve estar associado a uma dieta saudável e a exercícios físicos regulares."

Aula número de física: para toda ação, há uma reação.
Mas nesse caso, bem que compensa...

Já que é assim...


...tim-tim e bom final de semana!

21 março, 2013

"Vivendo e aprendendo a jogar"


Quando estava pesquisando sobre a nova técnica em teste para o controle da DM2, cheguei até o Hospital Alemão Oswaldo Cruz e como eles é que estão conduzindo a pesquisa em questão no Brasil, resolvi dar uma olhada no site e ver o que mais poderia ter sobre Diabetes...

E como se diz por aí, quem procura acha!
Eles tem uma publicação, disponível para consulta e download, chamada 'Convivendo com o Diabetes'.

Ela é divida em Módulos assim:

1. Uma visão geral do Diabetes

2. Prevenção do Diabetes e controle dos fatores de risco

3. Diagnóstico do Diabetes e de pré-diabetes

4. Controlando o Diabetes e prevenindo complicações

5. Como avaliar o controle da glicemia

6. Tratamentos não medicamentosos do Diabetes

7. Tratamentos medicamentosos do Diabetes

8. Nutrição em Diabetes

9. Complicações agudas do Diabetes: hipoglicemia e hiperglicemia

10. Complicações crônicas do Diabetes

11. Situações especiais

Apesar de ter sido publicada em 2009 e por isso conter dados e estatísticas de 2008, tem informações e algumas orientações gerais importantes, além de ser uma leitura bem didática e de fácil compreensão.

Nos capítulos iniciais, não tem nada que não seja conhecido, mas reforçar o que já se sabe não faz mal...
Os capítulos finais, especialmente no 10 e no 11, trazem assuntos mais específicos, abordando questões como problemas cardíacos (maior risco para pessoas com DM) e transplante de pâncreas, por exemplo.



Vale a leitura.
Certeza de quem conhece mais sobre o 'problema' se empenha mais em buscar a solução!


20 março, 2013

De carne, osso e chip!

Conexão direta... do corpo humano para o e-mail! 

Nada de ficção: realidade testada por cientistas da Suíça em pesquisa desenvolvida na Escola Politécnica Federal de Lausanne.


Apelidado de 'laboratório pessoal', este dispositivo minúsculo pode ser injetado no corpo através de uma injeção subcutânea e então é usado para monitorar algumas substâncias no sangue.  Os resultados são enviados diretamente para o médico.

Entre as aplicações em potencial, pode ser útil para monitorar os efeitos de quimioterapias e a glicose no sangue e consequente ajuste nas dosagens dos medicamentos.

De acordo com o Professor Giovanni de Micheli, o dispositivo "vai permitir um monitoramento direto e contínuo, baseado na intolerância individual de cada paciente, e não em tabelas de idade e peso ou exames de sangue semanais".

Os testes em pacientes serão iniciados agora e, ao que tudo indica, os dispositivos serão comercializados dentro de 4 anos. 

Hoje em dia eu nem sinto mais, mas ainda assim vai ser legal não precisar furar o dedinho 3 vezes ao dia...
Tomara que funcione!!

18 março, 2013

Pra esclarecer em rede nacional...

Deu na TV: Diabetes e Hipertensão: cada vez mais comuns!

Os números no Brasil hoje são, respectivamente, 30 e 12 milhões!! 

E o grande responsável por isso é a alimentação.
A má alimentação. 

Acho que as justificativas são sempre as mesmas: não se tem tempo, sempre correndo, pra ganhar uns minutinhos entra a opção de comer o que é rápido ou está mais ao alcance, no caminho do trabalho ou de qualquer compromisso... 

Salgadinhos, sanduíches, comida processada. 
Tudo em porções generosas. Muito sal. Muito açúcar. 

 Essa conta tem resultado certo: "O exagero na alimentação tem um preço. Doenças que antigamente atingiam idosos, hoje viraram epidemias e estão entre adolescente e até crianças. Duas dessas doenças costumam caminhar juntas: hipertensão e diabetes."

O resto já não é novidade.
Riscos são conhecidos. E as formas de prevenção para que não se chegue nesse 'status' também.





Mais importante do que saber que ambos são tratáveis e controláveis, é não esquecer que os dois também podem ser evitados!

Post-it, fitinha amarrada no dedo, bilhetinho na porta da geladeira... qualquer artifício está valendo!

17 março, 2013

Deixa o dia raiar!

Domingo com chuva depois de sábado com festa, dá vontade de ficar 'roendo' o tempo todo!
E de abstrair os horários, os intervalos entre as refeições...

Então, para o domingo e os dias em que a vontade é jogar o glicosímetro longe...
Para aqueles em que a vontade é explodir a maçã, e não comê-la...
Aquele outro em que o estômago 'pede' um hamburguer com batatas fritas...
E mais ainda naquele em que um balde de pipoca doce seria o companheiro ideal para o filme que vai passar...

Para todos os dias chatinhos assim - que chegam e, ainda bem, passam logo! - uma dose de humor:





Para terminar e para resistir à tentação momentânea:



16 março, 2013

Todo amor que houver nessa vida!

Uma mãe e a descoberta de uma filha com diabetes ainda criança.

À procura de brinquedos que pudessem ajudá-las a entender e viver de acordo com esta nova condição e com o insucesso da missão, a mãe criou para sua filhota Lilly uma boneca... na verdade, uma boneca diabética: The Diabetic Doll, essa mocinha aí embaixo:


Além de ser super charmosa, ela tem corações que indicam os locais onde a própria Lilly leva seus furinhos diários...



Mais, tem um kit para os cuidados da boneca, assim torna mais fácil a compreensão sobre a necessidade do tratamento e das injeções:


Certamente uma atitude que deu uma visão diferente à toda a mudança que essa pequena precisou encarar.

Encantador!

15 março, 2013

Pediu pra parar... parou!


Ah, Dona Cristina Kirchner, perdeu a chance de ficar calada...

Infelizmente o tratamento para o diabetes é caro e, pelo menos aqui no Brasil, não é muito fácil conseguir tudo gratuitamente, como preveem nossos direitos. 

Mas não, não é "uma doença de pessoas ricas porque elas são sedentárias e comem muito".

Honestamente, torço para que a técnica que vem sendo estudada na Argentina para combater o diabetes funcione e seja aprovada.

Mas enquanto isso não acontece...
Ei, Cristina, vai tomar... conhecimento do que é o diabetes antes de dar qualquer outra declaração!

E até lá, só mais uma dica:



14 março, 2013

A gente não quer só comida...


"Desde os primórdios até hoje em dia" criou-se um conceito de que quem tem diabetes, ou isso ou aquilo, precisa se conter, não deve se expor, faz só o necessário. 

Acho até bem compreensível... Antigamente não havia acesso a tratamentos, não existiam formas simples e diretas de monitorar a glicemia, não existiam tantas opções sugar free à disposição... 

Mas, ainda bem, a realidade hoje é outra. 
A ciência evoluiu, a tecnologia ajuda bastante, a conscientização é maior. 

Exatamente por isso, já está mais do que na hora de acabar com essa visão de que a gente 'não pode- não deve - não faz'.
Incluo aqui os que são "a gente" e ainda não conseguem se desprender desta teoria...

Pode, deve e faz. Tudo. Com o devido cuidado e respeitando os limites que o DM traz.

"... A gente não quer só comida
A gente quer comida
Diversão e arte
A gente não quer só comida
A gente quer saída
Para qualquer parte

A gente não quer só comida
A gente quer bebida
Diversão, balé
A gente não quer só comida
A gente quer a vida
Como a vida quer

A gente não quer só comer
A gente quer comer
E quer fazer amor
A gente não quer só comer
A gente quer prazer
Pra aliviar a dor

A gente não quer só dinheiro
A gente quer dinheiro
E felicidade
A gente não quer só dinheiro
A gente quer inteiro
E não pela metade! ..."

Então, siga em frente!





13 março, 2013

Alimentação que cuida.

Food for Life... esse realmente é o propósito desta empresa alimentícia.


A história começou quando o patriarca da família trabalhava em uma loja de produtos naturais. Dali foi só desenvolvimento e hoje, com a própria fábrica e uma lista de aproximadamente 60 itens, a família produz baseada no conceito de aproveitar ao máximo os nutrientes de cada um dos alimentos.

Não usam aditivos químicos, trabalham com produtos orgânicos, tem linhas de alimentos sem glúten, sem açúcar - mesmo os que levam açúcar, usam o natural, e não o refinado - além de trabalhar com um processo de cozimento lento, visando preservar as fibras e os benefícios dos grãos.

Mais, usam grãos geminados. Por que? Pelas grandes vantagens que traz para o organismo: melhora na digestão, permite uma maior absorção de minerais, grande liberação de antioxidantes e uma quantidade considerável de vitaminas.

Os pães, massas e cereais da linha Diabetic Frendly e demais são vendidos apenas nos Estados Unidos. Mas para quem tiver interesse, dá para aproveitar uma viagem à terra do Tio Sam e fazer compras online ou em uma loja por perto...

Será que chega por aqui??
Potencial para fazer acredito que a gente tenha... Se uma empresa dessas de alimentação orgânica e natural pudesse pelo menos conhecer a técnica de cultivo e fabricação...
Desenvolvimento sustentável, saúde e qualidade juntos! 
Apoio do Governo? É pedir muito? 

12 março, 2013

Pra ficar de bem?


Eu uso, por indicação da minha endócrino, o glicosímetro Accu-Chek Performa desde o comecinho do meu tratamento.

Sim, é necessário. 
Sim, é prático e ajuda no controle. 
Sim, é caro!! 

A insulina não é barata e as tiras reagentes do glicosímetro não ficam para trás neste quesito...

Pensando nisso e considerando que são produtos de consumo constante, a Roche (fabricante do Accu-Chek) lançou o Programa De Bem com a Vida, que além de trazer informações aos pacientes através do site do programa e prospectos distribuídos em farmácias, é um programa de benefícios para o paciente como consumidor.

Funciona assim: para participar, você deve ser usuário de qualquer produto da Accu-Chek. No site do Programa ou em lojas credenciadas você faz um cadastro. Cadastro feito, você vai receber um número, que está ligado ao seu CPF. 
Para validar seu cadastro no programa, é preciso fazer uma compra de 100 tiras reagentes (pode parecer muito, mas é o que eu uso aproximadamente em um mês). 
Pronto: valendo! 

A partir daí, cada compra se reverte em pontos que poderão ser trocados por produtos da marca.
Uma observação importante: de acordo com o Regulamento, para acumular pontos as compras devem ser feitas nos locais cadastrados no Programa.

Pois aí é que a coisa deixa de ser interessante.

Liguei para duas das farmácias cadastradas (Tecnomedi, no Centro do Rio, e Farmácia do Leme) e o que constatei é que os preços praticados são maiores do que os que eu normalmente pago: tirinhas a R$ 99,00 a caixa com 50 unidades - na última semana consegui uma promoção na UltraFarma e paguei por duas caixas R$ 130,00 + quatro reais e pouquinho de frete (São Paulo / Rio).





Assim, mesmo acumulando pontos no Programa, até chegar no número de pontos que permita a troca o gasto é maior...  







Para aproveitar o contato e já que de vez em quando é difícil achar outros produtos nas farmácias convencionais, consultei o preço das agulhas (uso a NovoFine de 8mm). E outro susto: R$ 120,00 a caixa com 100 unidades... A mesma caixa que por aí eu costumo pagar entre R$ 60,00 e R$ 70,00!!

Essa conta não fecha...

E não é por nada não, mas na minha lista agora tem duas opções de farmácia a menos... 

08 março, 2013

Tá quase!


Não ligo para a data especificamente, mas a atitude e a gentileza dos amigos e das pessoas na rua com o Dia Internacional das Mulheres é legal. 

E olha que fofo: Cupcake na empresa pra todas nós.


E quer saber mais: o meu é diet (quase!)! 


Isso foi o que mais me surpreendeu e me deixou feliz pelo simples fato de perceber que aos poucos a consciência vai mudando. 

Vão entendendo (e nesse "vão" está incluída a empresa, como instituição) que não comer açúcar não é necessariamente uma escolha para querer ficar magrinha ou ser mais 'natureba'. Vão entendendo que pode ser uma questão de não poder.

Tudo bem que ainda não está muito bem compreendido... ele é parcialmente diet, vide observação no cartãozinho.

Já vi isso acontecer algumas vezes... um petit-gateau diet mas que vem com sorvete e calda normais, uma salada super bem montada e colorida com molho já acrescido e no molho açúcar entre os ingredientes... 

Mas vale a intenção e a percepção de que faz diferença.

Que essa consciência aumente e junto com ela as opções 'sugar free' por aí!

06 março, 2013

Para além dos carboidratos...


Já citei o tal 'índice glicêmico' por aqui algumas vezes, e em todas elas eu penso sempre que preciso fazer um post específico sobre isso.... Sei os benefícios que um alimento com IG adequado podem trazer.

Chegou a hora de difundir esta informação, com a ajuda da Associação de Diabetes Juvenil (ADJ).

Conforme explicado pela Nutricionista da ADJ, "o índice glicêmico é um índice que expressa a velocidade de digestão e absorção de carboidratos. Ele pode ser um importante indicador da resposta do alimento no impacto da glicemia."

Mais: "Para a aplicação prática do IG é utilizada a carga glicêmica (CG) que quantifica os efeitos glicêmicos de uma porção do alimento. Ela representa a combinação da qualidade com a quantidade do carboidrato consumido."

Significa que alimentos com uma CG menor são digeridos mais lentamente. Com isso, ajudam a manter a glicemia equilibrada, sem picos. E nem sustos!

Uma coisa que minha Nutri me explicou e facilitou a compreensão sobre o índice e a carga glicêmicos, é que um alimento que já foi processado tem um IG maior. Por exemplo, uma colher de batata é melhor do que uma colher de purê de batatas. Isto porque o purê concentra um quantidade maior de batatas, além de ser absorvido mais rápido pelo organismo.

Alguns exemplos de frutas, legumes e comidas normalmente presentes nas nossas refeições e lanchinhos diários:


Esta tabelinha é de uma instituição americana, mas no Brasil, a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, elaborada pela equipe da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP no Projeto Integrado de Composição de Alimentos, do Departamento de Alimentos e Nutrição Experimenta da. também traz uma lista com a indicação da quantidade de carboidratos, fibra alimentar, resposta glicêmica e vitaminas, entre outros indicadores.

Vale a consulta.
E vale mais ainda tirar proveito. Eu já testei e vi que realmente faz diferença!

05 março, 2013

Nutricionista de plantão.


Quando minha endócrino marcou, no mesmo dia em que me disse que eu tinha DM, consulta com uma Nutricionista, achei bobagem. 
Meu pensamento era: "não preciso ir à Nutricionista, já sei o que ela vai me dizer, me alimento bem..."
Ledo engano!!

Sobre os bons hábitos de alimentação, de maneira geral, de fato eu tinha conhecimento. 
Sabia o que devia ou não comer, que era importante incluir frutas, verduras e legumes nas refeições, etc.

O que eu não sabia é que só isso não era suficiente. 
Era importante saber equilibrar carboidratos, fibras, proteínas em uma refeição. 
Saber que uma determinada fruta não era ideal para mim, porque tinha muita frutose. 
Que entre as refeições eu deveria comer alimentos com um teor razoável de fibras, que fariam o papel de controlar a glicemia e assim evitar picos.

Aprendi e vi na prática o bom resultado que isso tudo trazia.

Pois bem: para deixar essas informações mais ao alcance, a SBD criou uma página específica sobre o assunto.

O site, voltado diretamente para Nutrição em Diabetes, está dividido em temas: Alimentação Saudável, Adoçantes, Diet e Light, Rótulos Nutricionais, Contagem de Carboidratos, Índice e Carga Glicêmica, Mitos e Verdades, Receitas, além de acesso a Perguntas e Respostas, Livros e Manuais.


Destaque para o Dicionário dos Alimentos, que apresenta uma lista completa de alimentos com a informação nutricional de cada um. 

Um monte de informações, artigos e dicas que vale a pena ler.

Mas vale lembrar que não substitui, de forma alguma - e eu digo com conhecimento de causa - a consulta a um especialista!!

04 março, 2013

Pra ser protagonista!


O próximo Congresso Mundial de Diabetes será em Dezembro deste ano (de 2 a 6) em Melbourne, na Austrália.

Mas vou dizer o que mais me chamou atenção quando li o anúncio sobre o Congresso: "(...) As linhas de pesquisa abordadas no evento estão divididas em: Pesquisa Básica e Clínica, Diabetes em Indígenas, Pesquisa com Pessoas com Diabetes no Século XX: Uma Perspectiva Histórica; Educação e Cuidados Integrados; Desafios Globais em Saúde; Viver com Diabetes; Saúde Pública e Epidemiologia."

Opa! Viver com Diabetes. É isso mesmo?
É!

E continua: "É interessante observar que os interessados em enviar trabalhos não precisam ser profissionais de saúde."

Curti bastante!
Sempre penso que pacientes deveriam ser convidados a participar destes eventos, seja como palestrantes ou ouvintes. Afinal, além dos médicos que acompanham o caso clínico, quem mais sabe o que acontece na prática, todos os dias, é o próprio paciente. 

Juro que a cabeça já começou a pipocar com um certo interesse... imagina como ia ser legal um trabalho sobre este tema! Milhões de coisas para dizer. O que minha Super ia achar?

Ai ai... Austrália é longe, uma viagem que requer uma certa logística, um investimento considerável...



Mas para quem deseja inscrever trabalhos, o prazo para envio começou no dia 1° de fevereiro e vai até 22 de abril.



Só de saber que um tema tão importante pode ser apresentado pelos próprios pacientes já fico bem feliz. Honestamente acho que pode ajudar bastante na melhoria ou no desenvolvimento de novas tecnologias e tratamentos!

01 março, 2013

Que flagra!



Essa foto, achada pelas páginas Facebook, é parte de um projeto de alunos de uma escola dos Estados Unidos.

Tentei buscar a fonte da pesquisa, a escola onde foi realizada o trabalho, mas não encontrei.

Também não consegui ver as quantidades de açúcar indicadas embaixo de cada produto. 
O fato é que assusta só de olhar!

As marcas não são exatamente as mesmas que temos no Brasil, mas os produtos são similares e pela imagem é possível termos uma ideia de quanto de açúcar tem em cada um. Mesmo no Nestea, que é um chá e poderia ser considerado uma bebida mais saudável, a quantidade surpreende.

Atrás de mais informações sobre isso, achei um vídeo do Programa Bem Estar onde é mostrada a equivalência de açúcar em refrigerantes: duas latas de refrigerante por dia, por exemplo, representam o consumo mensal aproximado de 5kg de açúcar! Imagina como deve ser a conta final se somarmos ainda o açúcar que contém nos alimentos...

Dá para repensar os hábitos, não dá?!