Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

28 fevereiro, 2013

Pra enganar o organismo...


E vamos de pesquisa e bons resultados!


O Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo, vem conduzindo uma pesquisa com foco no controle do diabetes tipo 2 que se mostrou, em testes, de sucesso.

Muito tem se falado sobre os benefícios da cirurgia de redução de estômago com desvio intestinal em pacientes com histórico de obesidade e DM2. 
Este novo método - manga intestinal endoscópica ou exclusão duodenal - consiste na inserção de um tubo de 60cm ("dispositivo impermeável chamado endobarrier") no duodeno, através de endoscopia ou videolaparoscopia, e por isso é menos invasivo que a cirurgia bariátrica.


Com a técnica e de acordo com a explicação dada pelo Presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica - SBCBM, "a comida entra e não tem contato com a parede do intestino, isso faz com que o órgão deixe de fabricar hormônios produzidos nesta etapa, melhorando a produção de insulina pelo pâncreas".

O teste foi feito em 16 pacientes e destes, segundo a instituição, 12 apresentaram "reduções significativas dos índices de glicemia".

Por enquanto, o procedimento é reversível e cada paciente fica com o tubo por 1 ano, podendo ser recolocado após um intervalo de 2 meses.

Para pacientes com DM tipo 1, o método não é indicado, já que a eficiência está diretamente ligada à capacidade de reversão da função pancreática.

A previsão é que ainda em 2013 seja obtida a aprovação do método pelo Ministério da Saúde!



Nenhum comentário:

Postar um comentário