Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

08 novembro, 2012

Porque a luz não serve só para "alumiar"!

Idéias agora também vem pela rede!

Esta semana recebi pelo Twitter o link para esta novidade: um medidor ótico de glicemia, que utiliza luz infravermelha para medir o nível de glicose no sangue continuamente, sem precisar daquela furadinha incômoda nos dedos! 

A tecnologia, que foi desenvolvido pela C8 MediSensors e recebeu aprovação recentemente da União Européia através do CE Mark Approval (permite a comercialização do produto no continente Europeu), consiste na emissão de um pulso de luz que ilumina a pele e identifica exclusivamente as vibrações das moléculas de glicose. As leituras glicêmicas são armazenadas no monitor (fixado na pele através de uma cinta) e enviadas (por um sistema de transmissão sem fio) para um aplicativo de telefone celular do tipo smartphone

Criação de deixar Thomas Edison orgulhoso!

video

Pela descrição do sistema e conforme apresentado no vídeo, à primeira vista acho que o uso da cinta deve causar um desconforto, mas considerando que o furinho nos dedos também não é agradável, pode ser interessante!

O bacana da história é que a empresa foi formada por 3 amigos, pela vontade de um deles em tornar mais tranquila a vida do filho, que tem diabetes. O foco são soluções menos invasivas para monitorização da glicose e para o trabalho eles contaram com apoio de instituições de saúde e outros pacientes com diabetes.

Ainda não tem referências de preços, mas pelo site, se você entrar com a opção de 'União Européia' é possível reservar o medidor para entrega exclusivamente em países da Europa.

Por enquanto, é importante destacar que o monitor é recomendado para maiores de 18 anos (não consegui nenhuma referência sobre o porque disso) e ainda não foi aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration) nos Estados Unidos ou pela ANVISA, no Brasil!



Nenhum comentário:

Postar um comentário