Para controlar: faça uma tatuagem!

Essa é a proposta de engenheiros químicos do MIT!

Na realidade, eles desenvolveram nanotubos de carbono que seriam capazes de fazer o monitoramento do açúcar no sangue, após inseridos na pele.

Funciona assim: quando há glicose, os nanotubos ficam fluorescentes, o que pode ser visto utilizando-se uma luz infravermelha. O nível de fluorescência revela a taxa de açúcar.

Daí o plano dos pesquisadores: criar uma tinta feita dessas partículas para tatuar a pele. 
A tatuagem teria a duração de 6 meses e o resultado seria mostrado em um relógio de pulso com emissor infravermelho, que registraria também a glicemia medida.



Enquanto a proposta está em fase de testes, vou decidindo o desenho da próxima tattoo!

É importante destacar que não há o que se preocupar em relação à cicatrização. Os riscos ao se fazer uma tatuagem são os mesmos para quem tem diabetes e quem não tem, como explica a endocrinologista da Associação de Diabetes Juvenil, Flavia Osmo Floh



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Febre amarela: a gente - doce - pode se vacinar?

Pesquisa e Educação em Diabetes...

Do tipo que se importa...