Aqui no IP estão expostos os meus medos, as minhas descobertas, as conquistas, os avanços nas buscas pela cura do diabetes pelo mundo, os passinhos para um melhor controle da glicemia.

O que começou como um espaço de aprendizado e de dividir a minha convivência com o DM1, se transformou em estímulo para um melhor controle da minha doçura e para seguir mostrando que se funciona para mim, pode funcionar também para tantas outras pessoas que tem o diabetes como companheiro.

16 outubro, 2011

Diversão e controle nas férias!

Cheguei de férias e voltei a trabalhar já no dia seguinte. Com isso, o blog ficou parado por mais uns dias...
Mas agora, vamos às novidades!

A viagem não podia ter sido melhor!!
Diferente do que eu pensava, consegui me alimentar super bem e sem sair da linha.

Já no voo a caminho de NY, tudo em ordem. Fiz o pedido de refeição especial para a TAM e com isso consegui uma alimentação mais saudável e dentro do que eu podia comer. Garanti inclusive a geléia diet para o café da manhã!
(Fica a dica pra quem viaja com frequência: infelizmente para voos domésticos não existe essa opção. Mas para voos internacionais, é possível pedir refeições especiais, de acordo com suas necessidades.)

Já em NY, de cara achamos um restaurante perto do hotel que servia um super café da manhã. Diversas frutas, iogurtes sem açúcar, queijos, frios e diferentes tipos de pão, incluindo uns 2 integrais. Sucos e vitaminas também podiam ser preparados na hora, conforme preferência.

Neste mesmo restaurante, almoçamos no primeiro dia e de novo comemos bem. Arroz integral, grelhados, saladas...

Passamos a primeira noite em NY e no dia seguinte fomos para Iowa, reencontrar minha família do intercâmbio. 16 anos depois, confesso que foi super emocionante estar "em casa" de novo.

Passeamos bastante e comemos muito também!
Iowa é um estado mais rural, e Moulton (minha cidade) é uma pequena cidade de 500 habitantes. Não tem o corre-corre da Big Apple, a vida apressada. Ao contrário... tudo é feito com muito mais calma, de modo bem mais descansado. Inclusive as refeições.

Ganhamos um bolo super fofo de boas vindas (que eu não comi, porque não era diet):

 

Mas amei o bolo mesmo assim!

Em casa, nossas refeições foram um pouco mais calóricas, mas ainda assim foi possível equilibrar e manter a glicemia bem controlada. Quando tinha lasanha pro almoço, eu compensava comendo também uma salada. Quando tivemos costela de porco com molho barbecue, evitei comer o pão (que acompanhava para fazer o sanduíche) e como acompanhamento fui nos legumes.

E assim deu tudo certo!

Arrisquei até um sanduíche nos melhores padrões americanos...


A grande questão é que em vez de açúcar de cana eles usam o açucar feito do milho. Vou pesquisar mais sobre isso, mas o fato é que ele age como um adoçante.

Nesse embalo, me dei bem com uma torta de maçã deliciosa, feita em uma fazenda local. Dessas que tem a massa bem fininha e quando a gente corta é como se o recheio explodisse!

De volta à NY, fizemos praticamente todos os passeios - até para as comprinhas - a pé!
Resultado: redução na dosagem de insulina antes da ceia!!

Pra melhorar, achei em uma farmácia umas barrinhas de chocolate com amendoim da Glucerna (a mesma marca que fabrica o suplemento que eu estou tomando). Aliás, enquanto aqui só tem o suplemento, lá é possível comprar o chocolate, as barrinhas, o suplemento já pronto pra beber...

De fato, não havia motivo pra eu me preocupar com alimentos sem açúcar em solo americano. Em todos os lugares eu encontrava... capuccino, iogurte, biscoitos, tortas, chocolates... em qualquer restaurante ou mercado eu tive opções!

Tomara que em breve esse conceito já esteja tão difundido por aqui também!
É só lembrar que tem gente que não come açúcar porque não pode, e não porque não quer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário